72h em Berlin

Paula Abrahao | 72h em Berlin

Quem é vivo sempre aparece, e de preferência com fotos de Berlin pra mostrar! :D Comentei rapidamente sobre a viagem alguns posts atrás e prometi dar mais detalhes sobre essa cidade louca.

Engraçado que achei Berlin legal, mas pra mim não tinha sido tudo aquilo que todo mundo tanto fala. Porém, alguns meses meses depois da viagem, só consigo pensar em voltar pra conhecer mais. Doido isso, né? Não é um lugar que me encantou à primeira vista, mas definitivamente cresceu no meu coração desde então.

Queríamos visitar Berlin há um tempo, já que é perto e as passagens de trem saindo de Amsterdam são baratas (coisa de €30 por pessoa). Aproveitamos a desculpa de um show da nossa cantora favorita para passar um fim de semana prolongado. Fomos no final de abril; chegamos em uma sexta friorenta e voltamos na segunda pela manhã.

Paula Abrahao | 72h em Berlin

Tinha ouvido falar que Berlin é “a São Paulo que deu certo” e foi exatamente essa sensação que tive: a cidade é imensa, os bairros têm uma atmosfera bem diferente entre si, há pessoas de todos os tipos, nacionalidades e estilos pelas ruas, e aquela paisagem cinza e pesada em alguns locais; mas tudo isso é balanceado pela sensação de segurança e liberdade de expressão que Berlin passa.

Não tivemos muito tempo para ver tudo o que gostaríamos, então nem focamos tanto em visitar museus, por exemplo. Preferimos nos perder por aí, visitar o famoso muro (que ficava na frente do nosso hotel) e alguns bairros, e descobrir cafés e restaurantes diferentes. Nos hospedamos em um hotel bem simples na estação Ostbahnhof (chamado InterCity), um pouquinho longe dos pontos de interesse principais, mas o preço era bom e o hotel oferecia um passe de transporte gratuito, o que nos ajudou muito – fora a conveniência de voltar tarde e ainda ter uns quiosques de comida abertos na estação.

De lugares legais pra comer que visitamos, recomendo muito Happy Baristas, Brammibal’s Donuts e Shiso Burger. O Happy Baristas (Neue Bahnhofstraße 32) é um café ultra hipster focado em cafés europeus, Brammibal’s Donuts (Maybachufer 8) é uma confeitaria de donuts veganos deliciosos, e o Shiso Burger (Auguststraße 29) é uma hamburgueria bem gostosa com um toque asiático.

Paula Abrahao | 72h em Berlin

Tivemos também uma experiência exótica, digamos, em um restaurante minúsculo em Kreuzberg. Depois de uma visita à The Record Loft, estávamos com muita fome e sem muita ideia de onde ir. Passamos na frente de um restaurante com uma fachada peculiar, o Schnitzel Join&Bar, e decidimos nos aventurar. Subimos a escadinha pro restaurante e demos de cara com a dona, que estava voltando do mercado pois a salada tinha acabado (!). Ela efusivamente nos convidou a sentar e olhar o menu. Explicou tudo, sugeriu o schnitzel tradicional e acompanhamento, e fez questão de falar umas três vezes que, caso a gente não gostasse de algo, era pra avisar que ela faria outra coisa. O lugar em si parecia ter parado no tempo, com paredes meio descascadas e desbotadas; aquela coisa “não sei se foi intencional ou se é assim mesmo”. A moça foi tão atenciosa e efusiva que eu achei que saíriamos de lá com uma intoxicação alimentar, mas deu tudo certo (e o schnitzel estava gostosinho até)!

Achei a East Side Gallery (o muro de Berlin todo grafitado) bem bonita, mas é no Berlin Wall Memorial que a água bate na bunda e a gente começa a entender como funcionavam as coisas naquela época. O memorial mostra partes originais do muro e todas as contenções extras ao redor; logo atrás tem um cemitério, que foi recuado para a construção do muro na região, o que deixa tudo um pouco mais pesado e bizarro. Também dá para subir uma escadaria de uns três andares e ter uma visão superior, que ajuda muito a fazer mais sentido do que realmente era o muro e como ele dividiu a cidade. Fiquei mais fascinada do que imaginei que ficaria. É surreal demais lembrar que isso tudo aconteceu recentemente, que o muro foi derrubado há míseras duas décadas, e estar ali de frente para ele vendo um pedaço de história.

Não vejo a hora de voltar para Berlin e descobrir mais sobre essa cidade louca!

Paula Abrahao | 72h em Berlin
Paula Abrahao | 72h em Berlin
Paula Abrahao | 72h em Berlin
Paula Abrahao | 72h em Berlin
Paula Abrahao | 72h em Berlin
Paula Abrahao | 72h em Berlin
Paula Abrahao | 72h em Berlin
Paula Abrahao | 72h em Berlin
Paula Abrahao | 72h em Berlin
Paula Abrahao | 72h em Berlin
PaulaAbrahao_Berlin13
Paula Abrahao | 72h em Berlin
Paula Abrahao | 72h em Berlin
Paula Abrahao | 72h em Berlin
Paula Abrahao | 72h em Berlin
Paula Abrahao | 72h em Berlin
Paula Abrahao | 72h em Berlin
Paula Abrahao | 72h em Berlin
Tem mais algumas fotos de Berlin aqui.

[6 on 6] Augustus

Paula Abrahao | 6 on 6 - Augustus

Fiquei sem postar nos últimos dois meses, mas o Projeto 6 on 6 ainda existe. Nós todas tivemos um meio de ano conturbado e cheio de acontecimentos, mas estamos voltando e com uma proposta nova: ao invés de um tema específico, agora faremos uma espécie de políptico entre nós, fotografando coisas que nos agradaram ao longo do mês. Talvez a gente volte com os temas mais pra frente, mas, por enquanto, vamos tentar dar mais vazão à nossa criatividade. :)

Em agosto teve Europride/Amsterdam Pride, gatinhos e nossa primeira roadtrip pela Europa (München e Itália). Duas das fotos foram tiradas com uma câmera analógica; você consegue identificar quais? Uma delas está fácil, não fui eu quem tirou! :D

Paula Abrahao | 6 on 6 - Augustus Paula Abrahao | 6 on 6 - Augustus Paula Abrahao | 6 on 6 - Augustus Paula Abrahao | 6 on 6 - Augustus Paula Abrahao | 6 on 6 - Augustus Paula Abrahao | 6 on 6 - Augustus

Taís (Irlanda), Lolla (Inglaterra), Alê (Ucrânia), Ana (Alemanha)

Alive and kicking

Paula Abrahao | Moco Museum - Banksy

As desculpinhas são sempre as mesmas, porém não deixam de ser menos verdadeiras por isso. É trabalho, vida social, casa e gatos pra cuidar, problemas pra resolver… só a vida sendo a vida, e as redes sociais deixando de fazer tanto sentido pra mim. Seriam os trinta anos se aproximando e me deixando ainda mais velha ranzinza? O post é curto, mas só pra falar que tô vivona, tô curtindo a vida offline e tô voltando sim (eu acho).

Sempre tenho coisas que gostaria de compartilhar, apesar de às vezes pensar “mas nossa que ninguém vai querer saber disso”. Então aproveito para deixar aqui uma pergunta: o que vocês gostariam de ver/ler aqui? Não vou fazer pesquisa, ain’t nobody got time for that e o negócio aqui é mais pessoal, que vocês já sabem. Então me contem nos comentários o que vocês gostariam de ver mais por aqui. Querem mais post sobre Amsterdam (história, dicas de lugares pra visitar, compras, roteiros)? Mais fotos do cotidiano e da vida na terra do queijo, do peixe e do pão? Gatos? Posso providenciar. Viagens? Tem uns posts pra sair, eles chegarão em breve.

Esse espaço existe, principalmente, para dividir com mais pessoas as coisas legais que vejo por aí, sejam amigos da vida real, familiares (beijos, pai! beijos, sogra!), pessoas queridas que encontrei nesse mundo ou você, que está aí lendo esse post ~secretamente. Ninguém gosta de falar sozinho, né? Inclusive estou aqui escrevendo esse post por causa da Rê Vitrola e de uma leitora fofa, que me enviou um e-mail uns dias atrás. Fico muito feliz em saber que tem gente que se interessa pelas trivialidades que gosto de compartilhar, então, à vocês: meu muitíssimo obrigada. TAMO JUNTO! E tô voltando. <3

[6 on 6] Laatste Reis

Paula Abrahao | Projeto 6 on 6: Laatste Reis

Quem está chegando atrasada no Projeto 6 on 6 mais uma vez?  O verão resolveu passar mais cedo em Amsterdam e estou completamente desnorteada, perdi a noção do tempo na última semana e só no dia seguinte reparei que o dia seis já tinha passado  (quando vi os posts publicados das outras meninas do projeto, claro! hahah).

Relapsa do jeito que tenho estado, o tema de junho veio em boa hora: de laatste reis, nossa viagem mais recente. Veio a calhar pois estivemos em Berlin mês passado e eu ainda nem postei nada sobre, haha. Já fomos à Alemanha duas vezes (Köln <3), mas ainda não tinha aparecido a oportunidade para visitar a capital the original hipster. Vimos que nossa cantora favorita (adivinha? ela mesma) se apresentaria em Berlin e decidimos que seria uma boa desculpa pra fazer uma viagem curtinha.

Não sabia bem o que esperar; já tinha ouvido falar que é “a São Paulo que deu certo”, que é inesperada, nada a ver com o resto da Alemanha, e também ouvi intermináveis juras de amor à cidade. Apaixonei-me de cara? Não necessariamente, mas fiquei com aquela vontadinha de voltar e desvendar mais do que Berlin tem a oferecer. Também concordo com a comparação à São Paulo – grande, louca, meio sujinha, com gente de todos os estilos e tipos, mas com muitas possibilidades (mas a semelhança é só visual mesmo, Berlin é muito mais segura e livre de julgamentos).

O tema é ainda mais especial pois celebra nossos dois anos de projeto! Passou tão rápido e tivemos tantas participações lindas…

Paula Abrahao | Projeto 6 on 6: Laatste Reis Paula Abrahao | Projeto 6 on 6: Laatste Reis

"de sorocaba para o mundo"

“sorocaba para o mundo”

Paula Abrahao | Projeto 6 on 6: Laatste Reis Paula Abrahao | Projeto 6 on 6: Laatste Reis

Anneke van Giersbergen

Outras últimas viagens: Taís (Irlanda), Lolla (Inglaterra), Alê (Ucrânia), Ana (Alemanha)

[6 on 6] Natuur

Paula Abrahao | 6 on 6 - Maio 2016: Natuur

Falhas técnicas na vida me fizeram atrasar uns bons dias o post do Projeto 6 on 6 em maio: fazia tempo que a bateria do meu macbook estava dando sinais que precisava ser trocada, e demorei meses (talvez um ano) pra levar na assistência técnica. Adivinha quando inventei de fazer isso? Claro que na semana que deveria publicar o projeto. Não façam como eu, amiguinhos!

Atrasei, mas trouxe um monte de folhas verdes e canais comigo para mostrar um pouco da natuur de Amsterdam. Novamente não estava muito inspirada para fotografar e não amei o resultado, porém até que saiu melhor do que achei que sairia. Durante a primavera e verão, Amsterdam tem muito verde e dias lindos de Sol. A qualquer sinal de luz solar, todo mundo faz questão de sair na rua – se estiver quente o suficiente, picnics e churrascos em qualquer gramado livre são a ordem. Apesar de ser uma cidade bem metropolitana, Amsterdam tem muitos espaços verdes bem preservados mesmo nas áreas mais movimentadas.

Só acho tudo verde demais às vezes, sinto falta de ver plantas coloridas por aí (tulipas plantadas pela prefeitura não contam! :P). Fico super feliz quando passo por uma trepadeira de wisterias (ou glicínias) roxinhas, mas a cor e densidade delas não chega a ser intensa. A verdade é que depois de oito meses de frio e tempo miserável, estar cercada por um pouco de vida já me deixa extremamente feliz.

Paula Abrahao | 6 on 6 - NatuurPaula Abrahao | 6 on 6 - NatuurPaula Abrahao | 6 on 6 - Natuur

uma trepadeira de wisteria, bem tímida – mas bonita o suficiente pra me deixar feliz

Paula Abrahao | 6 on 6 - NatuurPaula Abrahao | 6 on 6 - NatuurPaula Abrahao | 6 on 6 - Natuur

Veja também as outras fotos do projeto:
Taís (Irlanda), Lolla (Inglaterra), Alê (Ucrânia), Ana (Alemanha)