Cerejeiras em Amsterdam

Paula Abrahao | Cerejeiras em Amsterdam

Finalmente chegou a primavera em Amsterdam! O clima ainda não está aquela maravilha, mas já conseguimos sentir o calor e deixar os casacos pesados em casa – e isso pra mim já faz uma diferença absurda.

Há dois fins de semana aconteceu o festival das cerejeiras no Amsterdamse Bos, um parque gigantesco localizado ao sul da cidade. O parque é tão grande que levamos 1h pedalando até chegar e encontrar o local exato onde estavam as cerejeiras – em média levamos de 15 a 25min para atravessar boa parte da cidade, então só imagina o tamanho do lugar.

O sul de Amsterdam e a municipalidade de Amstelveen (olha lá os termos estranhos de novo) é onde se concentram os imigrantes japoneses, e em outubro de 2000 o governo japonês doou 400 cerejeiras de presente ao Japan Women’s Club de Amstelveen para celebrar os 400 anos de relacionamento entre o governo holandês e japonês. Estas árvores foram plantadas no Amsterdamse Bos, mas também dá para encontrar algumas nas ruas de Amstelveen e em outros parques em Amsterdam, como o Westerpark e Amstelpark.

As sakuras estavam em plena floração, o parque estava cheio e o dia estava bonito, uma combinação boa para fotos – e eu gosto pouco de tirar fotos de flores e pessoas aleatórias, né? xD Ficamos tão empolgados que levamos quase todas nossas lentes (105mm, 50mm e 35mm) e também a câmera analógica.

Descobri que as árvores com flores brancas são as mais jovens, que devem ter por volta de dez anos, e as de flores rosas são árvores antigas, o que me fez gostar ainda mais delas. :)

even the cherry tree, swaying in the wind, will eventually blossom [SAKURAドロップス]

Paula Abrahao | Cerejeiras em Amsterdam
Paula Abrahao | Cerejeiras em Amsterdam
Paula Abrahao | Cerejeiras em Amsterdam
Paula Abrahao | Cerejeiras em Amsterdam
Paula Abrahao | Cerejeiras em Amsterdam
Paula Abrahao | Cerejeiras em Amsterdam
Paula Abrahao | Cerejeiras em Amsterdam
Paula Abrahao | Cerejeiras em Amsterdam
Paula Abrahao | Cerejeiras em Amsterdam
Paula Abrahao | Cerejeiras em Amsterdam
Paula Abrahao | Cerejeiras em Amsterdam
Paula Abrahao | Cerejeiras em Amsterdam
Paula Abrahao | Cerejeiras em Amsterdam
Paula Abrahao | Cerejeiras em Amsterdam
PaulaAbrahao-SakurasWesterpark01
Paula Abrahao | Cerejeiras em Amsterdam

[6 on 6] Buursteden

Paula Abrahao | Projeto 6 on 6: Buursteden, Cidades Vizinhas

Ah, se não fosse o Projeto 6 on 6 pra me fazer aparecer no blog… *shame on me*

Depois de mostrar um pouquinho dos meios de transporte em Amsterdam, chegou a vez de falar sobre as cidades vizinhas (buursteden em neerlandês). Meu plano era ir para Haarlem, aquela que inspirou a cidade nova-iorquina, mas o mês foi corrido e não consegui, então busquei algumas fotos do arquivo para mostrar alguns outros lados da Holanda.

» Antes que eu fuja do tópico: vocês sabiam que Nova York foi colonizada por holandeses e, na verdade, já se chamou Nova Amsterdam? Um dia falo mais sobre isso!

A Holanda (ou Países Baixos, como preferir) tem uma divisão extremamente confusa, e confesso que ainda não sei diferenciar muito bem as coisas. Amsterdam não é um Estado, é uma cidade com oito distritos que faz parte da província da Holanda do Norte, mas também é uma área metropolitana que contém onze outras municipalidades… deu pra entender? Pois é, eu também não entendo! hahah. Comparando com São Paulo, Amsterdam é a “Grande São Paulo” e as outras cidades (que não são necessariamente cidades aqui) são como Guarulhos e o ABC.

Fiquei um pouquinho mais louca escrevendo esse post, tentando entender e explicar esses detalhes. Também percebi que praticamente não tenho fotos (realmente boas) das poucas cidades vizinhas que visitei. Já fiquei com os pés coçando para explorar mais as redondezas. Por enquanto, compartilho um pouco de Lisse, a cidadezinha vizinha de Amsterdam que é famosa por ter o maior jardim da Europa, o Keukenhof.

Keukenhof, em Lisse Keukenhof, em Lisse Keukenhof, em Lisse Keukenhof, em Lisse Keukenhof, em Lisse Keukenhof, em Lisse

Veja também as outras fotos do projeto: Taís, Irlanda | Lolla, Inglaterra | Alê, Ucrânia | Ana, Alemanha

[6 on 6] Vervoer

Paula Abrahao | Projeto 6 on 6: Vervoer - Transporte

Entre todas as mudanças que Amsterdam trouxe para minha vida, meu relacionamento com o transporte foi, sem dúvidas, uma das maiores e mais drásticas. De viajante passiva do transporte público paulistano (às vezes agressiva, se uma viagem nos trens da CPTM estava envolvida), passei a controlar meu próprio percurso através do uso constante da bicicleta. Nunca me imaginei ir pedalando para o trabalho, a escola, um bar, uma festa, e menos ainda para shows e salas de concerto – toda arrumadinha, de salto, maquiada… quem diria?

Bastam alguns minutos em solo holandês para entender a importância das bikes no cotidiano dos locais; faça sol, chuva, vento ou neve, lá estão os holandeses pedalando – com crianças penduradas em cada extremidade da bike, carregando coisas 3x maiores do que eles ou simplesmente com a cara grudada nos telefones (e sem as mãos no guidão).

Mas não só de bikes vive a cidade. O transporte público é muito eficiente e geralmente pontual (os alemães discordariam, mas pra quem vem de São Paulo, onde nunca se sabe quando um ônibus ou metrô vai passar, é a coisa mais maravilhosa do universo). Opções não faltam, tem ônibus, tram (bonde), metrô, trem e balsa. Já na parte de transporte particular, tem muitas scooters (que odeio, pois andam junto das bikes nas faixas e muitas vezes causam acidentes), além de opções de aluguel de carro nas ruas mesmo, sem depender de lojas.

Vervoer (“fêrfúêr” em transcrição tosca e livre, haha)  é o tema do mês de março no Projeto 6 on 6, e tentei mostrar para vocês alguns dos principais meios de locomoção da cidade, e alguns dos meus favoritos também.

Paula Abrahao | Projeto 6 on 6: Vervoer - Transporte Paula Abrahao | Projeto 6 on 6: Vervoer - Transporte Paula Abrahao | Projeto 6 on 6: Vervoer - Transporte Paula Abrahao | Projeto 6 on 6: Vervoer - Transporte Paula Abrahao | Projeto 6 on 6: Vervoer - Transporte Paula Abrahao | Projeto 6 on 6: Vervoer - Transporte

Bakfiets: coloque um caixote gigante na frente da sua bicicleta e *tcharam* você tem um carregador oficial de criancinhas e cachorros (às vezes de mudança também). Há vários modelos de bakfiets no mercado (a da foto nem é uma das mais tradicionais) e elas são vistas pela cidade toda, às vezes só com uma criança, às vezes com várias… tem até uma bakfiets específica das escolas primárias, que são elétricas e carregam umas 8 crianças de uma vez. É a típica bike familiar da Holanda. :)

Balsa: saindo na parte de trás da estação central, as balsas conectam Amsterdam à parte norte da cidade, Amsterdam Noord. Elas são totalmente gratuitas e funcionam praticamente o dia inteiro, carregando pessoas, bikes, scooters e até Cantas (carrinhos minúsculos e de velocidade reduzida para uso específico de idosos ou pessoas com algum tipo de deficiência física).

Barco: um dos melhores jeitos de conhecer Amsterdam é através dos canais, seja em um barco turístico com roteiro programado (como o da foto) ou alugando seu próprio barquinho e sair navegando por aí. Muitos holandeses têm barcos pequenos para usar nos canais de Amsterdam, mais por lazer do que praticidade.

Bikes: não dá para falar de transporte e não mostrá-las, né? Em todos os formatos, cores, tamanhos, com freio de pedal, mão ou roda livre, dobrável, omafiets, speed… tem absolutamente de tudo – e não é difícil encontrar um amontoado de bikes assim por aí.

Metrô e Trem: o metrô não é meu meio de transporte favorito aqui, prefiro mil vezes os trams ou ônibus a eles, mas ainda assim são eficientes e cobrem áreas mais distantes da cidade. Muitas estações de metrô funcionam também como estações de trem, tanto para outras cidades holandesas como para outros países. Não fotografei os vagões, mas lembrei dessa foto que adoro e tirei em uma tarde bem fria de inverno na estação RAI, esperando meu metrô de volta para a Centraal (é com dois “a” mesmo).

Trams: tão bonitinhos e tão sanguinários quando tem alguém no caminho deles (o condutor senta a mão na buzina sem dó alguma)! Depois das bikes, é meu transporte de escolha em Amsterdam. Eles te levam para todo o canto da cidade com conforto e um preço honesto, cobrado por distância percorrida. É tão raro conseguir ver um tram de cima que simplesmente não resisti quando olhei pela janela e vi essas engenhocas cheias de fios e cabos cruzando seus caminhos. :)

Outros transportes pelo mundo:

Irlanda (Taís) | Lolla (Inglaterra) | Alê (Kiev) | Ana (Alemanha)

TAG | Bloggers Out and About

Paula Abrahao | Tag: Bloggers Out & About

Mais uma tag divertida para responder, yay! Fui duplamente intimada pela Taís e pela Celle a participar, então não tenho escapatórias – como se não fosse divertido responder e eu não adorasse, né? hahah.

Na verdade, o Bloggers Out and About é um grupo no Facebook idealizado pela WanilaVeronica com o intuito de compartilhar experiências de viagem e conhecer novos blogs sobre o assunto (já estou por lá, apesar de ainda não estar participando muito). A tag veio de brinde para a gente se conhecer melhor e dividir nossas memórias viajantes. :)

1. Onde você nasceu?
Em Guarulhos/SP.

2. Onde você mora hoje?
Morei quase minha vida toda em Guarulhos, passei dois anos em São Paulo capital, e estou há dois anos Amsterdam.

3. Qual foi o destino da sua última viagem?
Fomos para Londres (tem post aqui, já viu?).

Paula Abrahao | Londres: uma ode a Camden Town

4. Qual é o destino da sua próxima viagem?
Vou sozinha para Viena em algumas semanas, encontrar uma amiga lá. Já dá pra imaginar a ansiedade?

5. Qual foi sua melhor viagem?
Que pergunta difícil, mas acho que Chicago. Foi uma viagem extremamente especial em muitos sentidos – a segunda que fiz com o respectivo, conseguimos fazer quase tudo que planejamos, assistimos a um jogo de baseball, vimos belugas, comemos hot dogs incríveis em um lugar que não existe mais (infelizmente), e foi a primeira vez que tirei fotos bonitas de uma viagem. Ficou muito bem marcada no coraçãozinho. :)

6. Qual o lugar mais bonito que já visitou?
Acho que a Catedral Kölner Dom, em Colônia (Alemanha). Já fomos para lá duas vezes e a sensação de estar parada na frente dessa catedral gótica esplêndida, sentindo-se um grãozinho de areia de tão pequena, é indescritível. E ouvir o órgão de tubos sendo tocando durante uma missa lá dentro então? Jamais vou esquecer.

Chicago, The Bean

Chicago, The Bean

Köln, Kolner Dom

Köln, Kolner Dom

7. Que lugar você quer muito visitar?
São tantos que já nem sei mais qual quero ir primeiro! hahah. Mas acho que Japão, Noruega/Islândia e Cliffs of Moher, na Irlanda (espere por mim, Ta!), continuam sendo meu top 3 no momento

8. Qual lugar você não tem tanta vontade assim de conhecer?
Paris! Todo mundo fala que é lindo, romântico e etc etc, mas até hoje não tive muita vontade de conhecer. Claro que pretendo visitar, mas não está na lista de prioridades. Já o interior da França, é ooooutra história…

9. Onde você gostaria de estar agora?
Iria fácil pra Inglaterra também (quem sabe ficar na futura casa da Celle? hahahah)

10. Onde é o seu “lar”, o lugar que você se sente mais feliz? E por quê?
Exatamente aqui, em Amsterdam. Não imaginei que me sentiria tanto em casa nessa cidadezinha minúscula e infestada de turistas, mas o coração bate tranquilo toda vez que leio “Amsterdam” no letreiro do trem ou do aeroporto. :)

Vou taggear mais uns lindos pra responder, mas quero ver todo mundo fazendo também e voltando aqui pra deixar os links, combinado? Eu escolho esses Pokémons: Lya, Lolla, Alê, ChellGabi. Chamaria as Kah’s também, mas elas já responderam – Karine e Karina.

[6 on 6] Gezelligheid

Paula Abrahao | Projeto 6 on 6: Gezelligheid

Bastou um mês de folga do projeto para a pessoa distraída esquecer de postar no dia seis – e fui a única, olha que vergonha. Desculpa, meninas! Estamos de volta e com uma integrante nova: Ana, do blog This German Life, que vai compartilhar conosco sua visão linda de Fürth. Bem vinda, Ana! :)

O primeiro tema do Projeto 6 on 6 em 2016 atende pelo nome de conforto. Gezelligheid é uma palavra difícil de traduzir do holandês para alguns idiomas – mas não para Alemão e Norueguês, que também têm palavras embutidas do mesmo sentimento (Gemütlichkeit e koselig). Uma torta de maçã saindo do forno com uma colherada de chantilly fresco, um chocolate quente, tomar café na varanda em dias ensolarados, convidar os amigos para um jantar caseiro, ou até mesmo assistir Netflix embaixo das cobertas: tudo isso é gezellig.

Gezelligheid faz todo o sentido nos meses de inverno, quando os dias escuros sugam toda nossa energia; de repente nos pegamos acendendo velas na janela, preparando um chá com biscoitos, trazendo flores para dentro de casa e jogando mantas no sofá para nos sentirmos mais acolhidos e protegidos. É aquele calorzinho gostoso no coração, sabem?

Em meio à mudança e arrumação da casinha nova, admito que fui muito relapsa com as fotos deste mês. A maioria foi tirada em momentos espontâneos em casa, sem tanto esforço e planejamento prévio. Garanto que no próximo tema vou dar um pouco mais de amor e atenção. ♡

Paula Abrahao | Projeto 6 on 6: Gezelligheid Paula Abrahao | Projeto 6 on 6: Gezelligheid Paula Abrahao | Projeto 6 on 6: Gezelligheid Paula Abrahao | Projeto 6 on 6: Gezelligheid Paula Abrahao | Projeto 6 on 6: Gezelligheid Paula Abrahao | Projeto 6 on 6: Gezelligheid

Meu aconchego são meus gatinhos (faltou só o Thorin nas fotos) sendo fofos como só eles sabem, um capuccino gostoso com amigos durante um brunch em um de nossos cafés favoritos, plantas verdinhas pra alegrar os dias cinzentos, e uma xícara de chá em uma das minhas canecas favoritas (da Florence , por sinal<3).

Taís (Irlanda) | Lolla (Inglaterra) | Alê (Ucrânia) | Ana (Alemanha)