Thorin, o gato anão

Era para ser um sábado qualquer, mas tínhamos um compromisso muito importante naquele 13 de janeiro: levar algumas doações para a Confraria dos Miados e Latidos, conhecer o Kirk-Sauron (um persa de olhos laranjas que foi resgatado em dezembro) e afofar os gatinhos esperando uma adoção. No fundo, eu e o Shiota sabíamos que não ficaria apenas nessa visitinha inocente.

Fomos recepcionados pelo Mateus, um humano muito simpático, e por dezenas de gatos bebês e adultos que estavam na sala do GQ da Confraria aqui em São Paulo. Sem cerimônias, entreguei as doações, deixei a bolsa em uma cadeira e sentei no chão para brincar com os gatinhos. Logo vimos o Kirk-Sauron (nosso carinhoso apelido para o gato com o olho laranja que tudo vê), mas ele ainda estava extremamente amedrontado e não quis muito papo. Tentamos contato com ele mais algumas vezes, mas acabamos desistindo… se ele viesse pra casa, provavelmente seria o submisso e apanharia dos nossos três gatos – especialmente da Arya, a rainha do castelo que quer tudo do seu jeito.

Mas a dúvida durou pouco: em dez minutos, tinha seis gatos bebês em meu colo e mais alguns ao redor, se esfregando em meus braços e pedindo por carinho. Meu coração era um mistura incompreensível de felicidade e dor por estar ali com todas aquelas pequenas almas carinhosas e sedentas por amor, mas não poder trazer todas pra casa junto comigo.

Mother of Kittens

 

Foi em meio a todos esses peludinhos que nós o vimos: Royce Gracie, um filhote sapeca, brincalhão e ridiculamente carinhoso. Ele pulou no meu colo ronronando e começou a me afofar inteira – meu rosto, meus peitos, meu nariz, minha barriga… era amor demais! Alguns minutos depois e a gente já sabia que teria que levá-lo pra casa.

E foi assim que, no dia seguinte, Royce Gracie virou Thorin Oakenshield, nosso gato anão – mas por pouco tempo, pois parece que ele ficará grande e peludíssimo. O Mateus e a Vanessa, ambos protetores da Confraria, trouxeram o bebê pra nossa casa no dia 14 de janeiro, um domingo.

Thorin Oakenshield

 

 

A adaptação com nossos outros três foi a mais demorada até então, porém o Thorin tem um temperamento bastante confiante e estava acostumado a levar uns patadas educacionais dos gatos mais velhos na Confraria, então ele lidou muito bem com a hostilidade inicial. Depois de uma semana de rosnados, patadas, hisses e pelos espichados entre os quatro, finalmente rolou o amor e todos ficaram bem.

Winterfell nunca esteve tão completa e tão feliz, com Arya, Jamie, Lexie… e agora Thorin! ♥