Os braquiossauros me entenderiam

Perdi as contas de quantas vezes ouvi “nossa deve ser tão legal ser alto” nesses vinte e quatro anos e seis meses de existência. Altura elevada é automaticamente associada com elegância, glamour, passarela, beleza e esses nhenhenhes todos.

Mas sabem a verdade? Ser alto em um país onde a média não passa de 1.70m é um saco de papai noel furado! É difícil comprar roupas, pois as blusas ficam curtas no comprimento ou nas mangas e as calças compridas parecem calças de catar caranguejo no mangue. É difícil fazer tarefas do dia-a-dia pois nada é adaptado à sua altura: pias, mesas, sanitários, balcões… tudo é pequeno demais para você. É difícil encontrar sapatos caso você calce +40, no caso feminino, ou +44, no caso masculino. É difícil interagir com as pessoas ao seu redor, ter que ficar abaixando toda hora, se contorcendo e se encolhendo traz muitas dores nas costas a longo prazo. E o salto alto? Sei que há mulheres altas que amam a sensação, mas eu detesto andar no meio da rua e todo mundo ficar encarando – às vezes tenho certeza que ficam procurando um gogó pra saber se eu sou mulher de verdade ou não. Utilizar transporte público é uma tarefa de paciência redobrada; não bastasse a baixa eficiência do transporte, que gera irritação em todos os usuários, ainda temos que conviver com tetos baixos e espaço ínfimo entre assentos, um verdadeiro horror para nossos joelhos e postura.

E sabe o pior de tudo? Não há muita solução. As lojas não vão tomar vergonha na cara e mudar seus padrões de medidas, não posso exigir que os amigos usem plataformas para elevar a altura e definitivamente não posso fazer nada a respeito do transporte lata de sardinha. Só me restam minhas aulas de pilates e alongamento contínuo para tentar dissolver o alien (apelido carinhoso dado ao meu tendão de tensão imenso) que habita minha coluna. Na verdade esse post foi só para contar a vocês que tenho uma leve escoliose (desvio na coluna), e olha… não é mole, não.

Então da próxima vez que você desejar ser a Gisele Bündchen, pense duas vezes. Ou deseje também a conta bancária dela para pagar o massagista, o quiroprata, o personal e a professora de pilates full-time.

Paula tem 1.78m e adoraria poder distribuir centímetros aleatoriamente pela rua.