Posts sobre Beleza

Um amor chamado Lush

A primeira lembrança que tenho da Lush é de meados de 2004, em um shopping de São Paulo. Lembro-me de passar na porta da loja e ficar extremamente enjoada com o cheiro forte e conflitante das bath bombs, que naquela época eram o maior destaque da loja. A marca fechou as portas logo em seguida e só voltou ao mercado brasileiro recentemente, uma década depois.

Li várias resenhas e opiniões positivas sobre a marca nesses últimos anos, o que despertou minha curiosidade para testar. Fiquei super feliz quando cheguei em Amsterdam e descobri que há duas lojas da Lush por aqui (agora já são três); e que surpresa agradável não ser imediatamente abatida por fragrâncias fortes demais ao passar pela porta!

Comecei a testar, na loja mesmo, alguns dos produtinhos mais vendidos e bem cotados em blogs famosos gringos, e comprei alguns sabonetes para levar pra casa. Pronto, já foi o suficiente para me apaixonar. Depois dos sabonetes vieram as máscaras para rosto, os toners, esfoliantes, shampoos… quando eu percebi, meu banheiro já tinha sido tomado pelas inconfundíveis embalagens pretas.

Paula Abrahao | Um amor chamado Lush

Estou sempre levando as amigas daqui na loja para escolher produtos, e minhas visitas são tão frequentes que já fiquei amiga de alguns dos vendedores. Com a reentrada da Lush no Brasil e todo o fuss que ela está gerando entre as consumidoras, achei justo compartilhar minha seleção de favoritos; aqueles produtos que eu acho que valem MUITO a compra.

Mask of Magnaminty – Sempre será o primeiro produto da Lush que vou indicar para qualquer pessoa. Essa máscara ajuda a limpar as impurezas da pele sem ressecá-la, e deixa uma sensação deliciosa. Gosto de usar no rosto, especialmente pela manhã. Deixo no mínimo 5 min, vou tomar um café e depois tiro no banho matinal. A pele fica refrescada, visivelmente mais limpa e radiante. É meu produto favorito da Lush! E sempre emendo o uso com o tônico Tea Tree Water.

Shampoos Sólidos – A coisa mais prática para viagens, dá pra jogar até na mala de mão e economizar uns ml do limite permitido. O shampoo parece (e funciona) como um sabonete: é só esfregar na mão com um pouco de água para fazer espuma e passar nos fios, ou passar o bloquinho direto no cabelo mesmo. Testei o Jumping Juniper, Montalbano e Seanik e gostei muito, especialmente dos dois primeiros. Eles limpam o suficiente na raiz e não deixam as pontas ressecadas – exceto o Seanik, esse não funcionou bem pra mim e já achei que deixa meu cabelo ressecado demais. Os shampoos sólidos duram tanto quanto um shampoo líquido de 300ml ou até mais. Agora quero testar o shampoo sólido com pigmentos para cabelos ruivos. :3

Paula Abrahao | Um amor chamado Lush

Dark Angels – Que diversão passar isso no rosto e ficar parecendo que caiu de cara na lama, hahaha! É um pózinho que, ao ser misturado com um pouco de água, se transforma em uma argila limpadora. Dark Angels promove uma esfoliação na medida, que dá a sensação de limpeza sem deixar a pele sensibilizada. Gosto de usar especialmente na TPM e durante a menstruação, para desobstruir os poros e ajudar com espinhas.

Grease Lightning – O melhor tratamento para espinhas que já usei. É um gel transparente extremamente leve, de secagem rápida e ótimo para usar até mesmo antes de passar maquiagem. Ajudou muito na minha fase problemática com espinhas hormonais, e não irritou minha pele sensível. Infelizmente não achei no site brasileiro para comprar, mas talvez esteja disponível em breve.

Sabonetes – Adoro vários, minha escolha depende muito do meu humor ou da estação. Três fragrâncias de sabonetes sólidos que eu compro com frequência são Karma, Outback Mate e Sexy Peel. Amava um sabonete que lançaram para o Dia das Mães inspirado na bubble bar Mr. Brightside, mas infelizmente era edição limitada. Gosto muito também dos sabonetes líquidos (sempre compro o Dirty Springwash e o The Olive Branch, que é mega hidratante e tem um cheiro maravilhoso) e das “gelecas” de banho, que são divertidas de usar e muito cheirosas.

Paula Abrahao | Um amor chamado Lush

Minhas mais recentes descobertas são as bath bombs e bath bubbles (finalmente tenho banheira em casa e posso usar, yay!), o hidratante corporal Sympathy for the Skin, o desodorante e esfoliantes em barra, e as barras de massagem. Estou adorando descobrir a linha corporal, aos pouquinhos tenho feito a troca dos meus produtos industrializados pelos da Lush e não tenho me arrependido.

E como nem tudo é só elogios, tem dois produtos que comprei depois de ler vários comentários positivos e não gostei: Ocean Salt e Roots Não gosto de nada que deixa a sensação de ter uma película sobre a pele após o uso, e foi o que senti com o esfoliante Ocean Salt. Também já testei os esfoliantes labiais e, apesar de gostar, não acho que valem a compra. Dá para fazer em casa com açúcar e um pouco de mel, nada complexo. Já a máscara capilar Roots senti que fez absolutamente zero diferença, apesar de ser gostosa a sensação do couro cabeludo ficar geladinho.

Você já testou alguns destes produtos da Lush? Tem algum outro que seja seu favorito e você quer recomendar? Aceito novas indicações. ;)

Paula Abrahao | Um amor chamado Lush

Bath Bombs e Bubble Bars

Nunca vai existir um novo preto

A frase é lema do blog Way Gother (❤), mas poderia ser o hino de todas nós que acreditamos que preto é a melhor cor para se ter no armário. Não tem nada mais legal nesse mundo do que combinar tons de preto (preto, preto desbotado, cinza escuro, cinza mescla, cinza claro… so many opshunzzz).

Para quem passou o final da adolescência sendo chamada de Mortícia e uma vida adulta apreciando uma subcultura zombada (“nossa, você não cansa de usar preto? você não está velha demais pra isso?”), é engraçado ver essa onda de ~gótico suave~ que surgiu nos últimos meses. Não era só uma fase, e eu vivi para ver alguns ícones do estilo alternativo caírem no gosto popular. De repente, ter um visual que se assemelha remotamente à Vandinha Adams virou um sonho de consumo.

Mas não estou reclamando. Só acho curioso mesmo, e no final essas modas dão ainda mais opções de lugares para garimpar nossas roupas e acessórios. Por sinal, é isso mesmo o que vou fazer hoje: compartilhar minhas lojas desejo, aquelas que eu entro, jogo mil peças no carrinho e grito “klapaucius” mil vezes mentalmente na esperança de ficar rica e poder comprar tudo.

Paula Abrahao | BLOG - Nunca vai existir um novo preto blusa phosphorus hautextreme | legging lip service | rabo de gato intrometido jamie

hauteXtreme: opção nacional incrível para quem gosta de estampas e cortes exclusivos, com peças limitadas feitas artesanalmente em solo brasileiro. Os acessórios não são de fabricação própria (com exceção dos chokers tattoo), mas são selecionados a dedo. Tenho algumas peças da loja e adoro – ainda vem uma sacola linda e um nécessaire junto. A Rê Vitrola e a Lidia Zuin já falaram sobre a marca também, vai lá ver. ❤

Grit n Glory: dei a sorte de me hospedar na mesma rua da loja física em Nova York e me apaixonei todas as vezes que entrei ou passei na frente. GnG é uma boutique que revende algumas marcas alt, eles têm uma seleção incrível de roupas, acessórios e itens de decoração. A loja online envia para o mundo todo e é super eficiente, já comprei e recomendo.

Black Craft: foi na Grit ’n Glory que descobri essa marca, responsável por fazer minha camiseta absolutamente favorita nos últimos (quase) dois anos. AMO as camisetas deles! Além de terem estampas incríveis, o tecido é gostoso e de boa durabilidade.

Social Decay: descobri há algumas semanas e já coloquei várias camisetas na minha wishlist – os modelos raglan então, ai ai. So much black everywhere!

Lip Service: uma grande conhecida de quem adora moda alternativa. Vinil, couro fake e muita textura linda, transparência e renda pro lado darktude morrer de orgulho. A única birra que tenho com a loja é a numeração minúscula, tenho uma legging tamanho G deles que mal entra direito (e geralmente uso M).

Miniminou: outra opção brasileira com uma variedade grande de roupas e acessórios. Além de vender online, a marca também disponibiliza algumas peças em coletivos (tipo o Endossa, em SP). Nunca comprei nada deles, mas já vi algumas pessoas usando por aí.

Susannah Leigh: quadrinhos bordados lindos e extremamente inspirados. Estou paquerando os de fundo preto há um tempo, só falta $$ sobrando pra trazer um pra casa.

Blood Milk: Não tem um freaking anel dessa loja que eu não tenha desejado profundamente no último ano, mas gastar $200 em um acessório ainda não faz parte da minha realidade. Um dia, um lindo dia, quem sabe.

Já conhecia alguma dessas lojas? Aceito mais sugestões! Estou evitando comprar coisas, particularmente roupas novas, mas olhar não machuca (nem dói meu bolso). :D

Cabelo Roxo com Manic Panic

Passei metade do ano com o cabelo roxo, e depois de todo esse tempo finalmente terminei esse post! hahah. Não é nada muito empolgante, mas gosto de registrar essas grandes mudanças capilares com mais detalhes, seja para referência futura ou até para ajudar alguém.

Até maio, estava pintando o cabelo de turquesa com a Crazy Color “Peacock Blue”, um tom incrível que fixou muito bem nos fios, mas já estava cansadinha da cor e fazia meses que queria tentar roxo. Aproveitei a vontade para testar a Manic Panic, uma das marcas de tintas fantasia mais famosas. Escolhi a “Purple Haze” (comprei pela Amazon), esperei o turquesa desbotar e fiz um teste de mecha para ter certeza que o roxo ia pegar bem e não ia ficar alguma cor esquisita.

Paula Abrahao | BLOG - Cabelo roxo com Manic Panic

Fiquei tão apaixonada pelo roxinho aparecendo entre o turquesa que quase pintei só metade do cabelo, mas segui com o plano original e passei a tinta em tudo mesmo. E que marca mais maravilhosa essa Manic Panic! Como as tintas fantasia são usadas puras (geralmente), sem necessidade de misturar com água oxigenada, elas são muito mais gentis para a estrutura capilar. Muitas marcas renomadas ainda adicionam agentes condicionantes na formulação, então além de tingir o cabelo (previamente descolorido, claro) elas também hidratam.

Deixei agindo por 2h para a coloração penetrar bem nos fios, tanto que a água saiu quase limpa quando fui lavar. Como meu cabelo estava imenso na época, o potinho pequeno da MP rendeu só para a parte de cima, então na de baixo eu usei uma Keraton Hard Colors (cor Ultra Violet) que tinha em casa.

O resultado final foi esse roxo com fundo magenta maravilhoso, e um mais puxado pro azul embaixo (onde usei a Keraton). <3

Paula Abrahao | BLOG - Cabelo roxo com Manic Panic

Paula Abrahao | BLOG - Cabelo roxo com Manic Panic

Paula Abrahao | BLOG - Cabelo roxo com Manic Panic

Cobriu muito melhor do que eu imaginei, mas durante todos esses meses meu cabelo sempre desbotava pro turquesa. Bizarro como ficou impregnado, né? Depois da Manic Panic usei bastante a Directions e intercalava com a Crazy Color, nas cores Violet e Hot Purple, respectivamente. Já vi muita gente falando mal de Crazy Color, porém sempre tive uma experiência ótima com os tons que usei.

Paula Abrahao | BLOG - Cabelo roxo com Manic Panic

Roxo beeem desbotado e turquesa aparecendo | foto por Marcela Xavier – marcelaxavier.net

Depois de quase um ano com cabelo colorido, resolvi voltar pro castanho – mas deixei a metade de baixo roxa para não sentir saudade! hahah. A ideia é voltar pro turquesa em breve, uma coisa meio Kylie Jenner. Fazer esse post até me deixou com saudade do roxinho, ai ai.

Já usaram alguma dessas marcas de tintas fantasia? Infelizmente eu não sei onde consegui-las no Brasil, mas acredito que na Galeria do Rock ou lojas online dê para encontrar. Caso tenham alguma dúvida sobre o processo de coloração, deixem aí nos comentários que eu tento ajudar. ;)

Truque para andar de bike com saia

foto por: velojoy.com

Andar de bike com vestido ou saia requer alguns truques. Mesmo aqui em Amsterdam, onde as mulheres têm mais liberdade para usarem e serem o que quiserem sem ter que lidar com olhares e julgamentos alheios, pode ser um pouquinho desconfortável ter que lidar com uma saia voando, pagar bumbum e calcinha e afins.

As holandesas não ligam muito, mas eu tenho meus complexos e não consigo ter todo esse desprendimento delas. E não sou a única! Cansadas de lidar com as mesmas situações, um grupo de amigas de Glasgow teve uma solução extremamente simples e genial: penny in your pants!

O truque gênio precisa só de de uma moeda (uma pedrinha, bola de gude ou objeto similar também vale) e um elástico pequeno. É só colocar a moeda de trás pra frente no meio da sua saia, passando pelas duas camadas da roupa, e prendê-la com o elástico, como se fosse um botão. Assim, na hora de subir, descer ou pedalar a bike, ficamos mais tranquilas em não mostrar nada que não queremos.

Elas criaram um site só para o Penny In Your Pants e tem até um vídeo explicando o hack, vale conferir. Já vou colocar a tática em uso essa semana mesmo, aproveitando que finalmente a temperatura está acima dos 20 graus.

E a ideia não para por aí: elas estão desenvolvendo um produto inspirado nesse truque, que evita que o tecido da saia ou vestido fique tão marcado. Parte do lucro das vendas será destinado para dar suporte a um time de mulheres ciclistas no Afeganistão.

Gostaram da ideia? A dica foi da querida Fabi, que lembrou do post sobre liberdade aqui no blog, e espero que seja útil. ;)

Perfumes para quem tem enxaqueca

A enxaqueca me persegue desde os 14 anos, e de lá pra cá o comportamento das crises mudou um pouco. Adoro perfumes desde pequena, e na adolescência podia usar qualquer um tranquilamente sem ter a sensação que minha cabeça iria explodir. Infelizmente, há uns 3 anos, peguei intolerância quase que total a fragrâncias muito fortes e doces.

Daí o que faz a pessoa que tinha 212, 212 Sexy e Very Irresistible na coleção? Tentei usá-los em várias ocasiões diferentes, com a borrifada mais leve possível ou só uma gotinha longe do rosto, especialmente fora da semana de TPM (que é quando eu tenho certeza absoluta que terei pelo menos uma crise), mas não adiantou. Era passar 1h pra cabeça começar a pesar.

E o pior é que a restrição não para comigo: meu marido também precisou rever suas opções, e quando já acordo meio mal tenho que pedir pra ele nem passar. Mas o marido tudo bem até, né… e os amigos, como faz? Eu que não vou pedir pra eles pararem de usar alguma coisa por minha causa. O jeito é sair de casa sempre com uma cartela de Aleve na bolsa pra evitar problemas.

É uma chatice. Cada pessoa tem um gatilho diferente para as crises, mas se a sua também é por odores fortes (ou se você simplesmente prefere fragrâncias mais delicadas), vem comigo que vou compartilhar minha coleção “anti-enxaqueca” que garimpei nesses últimos anos – começando pelos mais suaves até os mais intensos.

Paula Abrahão | BLOG - Perfumes para quem tem enxaqueca

Colônia Johnson’s Baby Lavanda: comprei por indicação de uma amiga para me ajudar a dormir, e descobri a minha colônia favorita de todos os tempos. É o cheirinho mais delicado, sutil, fresco e seguro para qualquer ocasião. Além de ser gostoso, me deixa com a sensação de banho tomado o dia inteiro – que eu amo. O amor é tanto que pedi pra um amigo trazer um frasco de 400ml na mala pra mim quando não encontrei Johnson’s em Amsterdam .

Green Tea scent spray, Elizabeth Arden: outra indicação de amiga que salvou minha vida. É minha opção quando quero uma fragrância leve, mas um pouquinho mais intensa que a Lavanda Johnson’s. Só gostaria que fosse um pouco mais fresco… ele tem algumas notas de fundo que me incomodam.

Body mist Cherry Blossom, Bath and Body Works: meu floral favorito, é super delicado. O fragrance mist Japanese Cherry Blossom da The Body Shop também é bom, mas não tem tanto frescor quanto o da BBW.

Água Perfumada Rosa Búlgara, Zara: uma opção mais refinada do “cheirinho de banho tomado”. Adoro borrifar essa nas roupas, principalmente. Comprei há um tempão na Zara e não sei se ainda tem nas lojas.

Love Spell fragrance mist, Victoria’s Secret: foi meu signature por muito tempo, mas começou a atacar mais a enxaqueca e parei de usar tanto. As notas de pêssego quebram um pouco o aroma doce da flor de cerejeira, é um floral frutal ótimo – e imagino que quase todo mundo já conheça.

Christina Aguilera EDP: comprei pela Jequiti assim que lançaram (não tem mais no catálogo, infelizmente), e é o único Eau de Parfum (a fórmula mais concentrada e forte) que não me dá enxaqueca. O cheiro é diferente da maioria dos EdP’s femininos à venda; é um floral sensual e romântico, mas sem aquele fundo pesado que lembra a talco ou musk (o d e i o). É minha escolha para ocasiões especiais.

Oh, Lola! (EDP), Marc Jacobs: ganhei uma amostrinha dele e foi paixão imediata. Tem notas de framboesa, peônia, pêra e baunilha. A classificação oficial do estilo dele é “vibrant, flirtatious and lighthearted”, e eu não poderia concordar mais.

Daisy (ESF), Mar Jacobs: a fragrância é deliciosa e suave assim que aplico na minha pele, mas desenvolve para umas notas meio musk-y depois de um tempo, então não é 100% seguro. Ainda assim, gosto bastante dessa versão Eau So Fresh – uma formulação menos concentrada que a Eau de Parfum, geralmente desenvolvidas para a primavera e o verão.

Essas são minhas fragrâncias favoritas e seguras para não ter enxaqueca. Já tentei muitas famosas, como Chanel Chance ou Miss Dior, mas não foram aprovadas pelo meu Comitê de Neurônios Exigentes e Irritadiços. :P

Você também sofre com essa chatice de enxaqueca e tem problemas com perfumes fortes? Compartilhe sua experiência comigo aqui nos comentários, vamos trocar informações e indicações de colônias, perfumes e body mists. ;)

Atualização

A Manu, do Desejos de Beleza, fez um post bacana falando sobre enxaqueca e dando dicas para tratar e evitar as crises. Vale muito a leitura! Já a Vic Ceridono, do Dia de Beauté, fez um vídeo falando sobre seus perfumes favoritos e tem alguns na seleção que parecem ser boas opções.

123